quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Barbie-Desmatadora arrependida


Depois do drama que se arrastra desde o fim do namoro com Ken, a boneca mais famosa e luxuosa do mundo dos brinquedos quer abandonar a fama de desmatadora das florestas.
A Mattel, fabricante da Barbie, anunciou hoje que deixará de comprar embalagens de papelão que estejam ligadas à devastação das florestas tropicais da Indonésia.
Para cumprir com sua promessa, a Mattel deu instruções a seus fornecedores para que evitem comprar fibra de celulose de empresas "conhecidas por seu envolvimento com o desmatamento".
Esta é uma referencia direta à Asia Pulp and Paper (APP), a mais notória responsável por derrubar as florestas tropicais indonésias e por em risco a vida de milhares de espécies, como o ameaçado Tigre de Sumatra.
A nova política para compras de matérias primas divulgadas pela Mattel também tem o objetivo de aumentar o uso de papel reciclado e de produtos com origem certificada pela Forest Stewardship Council (FSC), que garante a procedência da celulose a partir de manejos sustentáveis. De acordo com o comunicado, até o final deste ano, a empresa se compromete a utilizar 70% de suas embalagens provenientes de papel reciclado e fontes sustentáveis. Até 2015, espera atingir a marca de 80%.
"A Mattel acaba de demonstrar que, quando pressionadas, as empresas assumem responsabilidades para preservar seus mercados, o que é uma decisão madura e inteligente", diz Paulo Adario, diretor da campanha Amazônia do Greenpeace.
"Este é um exemplo que precisa ser seguido por empresas que atuam na Amazônia e que ainda carregam a mancha do desmatamento na sua produção. E não adianta mudar Código Florestal para legalizar o desmatamento quando o próprio mercado diz que não quer produto de destruição".
Pressão internacional
A campanha global lançada pelo Greenpeace para pressionar a Mattel começou em junho passado, quando uma investigação revelou que as embalagens usadas para vender a boneca Barbie tinham origem em madeira das florestas tropicais da Indonésia. Uma enorme faixa foi pendurada na sede da empresa, na cidade de El Segundo (EUA). Nela aparecia uma foto de Ken e a frase: "Barbie, acabou. Eu não namoro garotas que se envolvem com desmatamento".
Além dos Estados Unidos, ativistas da Inglaterra, Dinamarca, Finlândia e Taiwan realizaram ações nos mesmos moldes, chamando a atenção para o problema. A empresa também recebeu mais de 500 mil e-mails de internautas que pediam o fim da devastação das florestas tropicais da Indonésia, onde mais de 1 milhão de hectares de matas nativas são derrubadas a cada ano.
Mas agora que a Barbie se arrependeu, resta a dúvida: o casal vai reatar o namoro? Melhor não especular ainda sobre o assunto, mas a hostilidade entre os dois finalmente cessou.
Fonte: Greenpeace 

Nenhum comentário:

Postar um comentário