sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Cientistas do MIT criam microchip que gera energia a partir das vibrações


O aparelho tem o tamanho de um microchip, envolto por uma camada de material piezoelétrico, uma espécie de cristal que gera energia a partir do movimento. | Imagem:Inhabitat
Pesquisadores do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), nos EUA, desenvolveram um pequeno dispositivo capaz de aproveitar a energia das vibrações, com capacidade cem vezes superior a dos equipamentos tradicionais.
A tecnologia deve auxiliar a produção e utilização de energia limpa, obtida apenas pelos movimentos tradicionais, como caminhadas, tráfego de automóveis e até mesmo a vibração das pontes. Segundo os especialistas, essa pode ser uma das fontes energéticas para as redes de sensores sem fios, muito usadas para o monitoramento das condições ambientais.
Com os avanços tecnológicos recentes, os sensores wireless, espalhados por diversas áreas do planeta, já são mais econômicos. Mesmo assim, as baterias utilizadas atualmente ainda precisam ser trocadas. A tarefa toma proporções imensas, já que as redes são formadas por milhares de sensores. Por isso, o dispositivo criado no MIT pode ser considerado um importante avanço para a área.
O Kinetic, como foi apelidado, pode servir como auxílio aos sistemas que controlam a poluição, monitoram oleodutos, construções e até mesmo aos equipamentos que analisam as condições climáticas para impedir que as mudanças de temperatura causem incêndios florestais.
O aparelho tem o tamanho de um microchip, envolto por uma camada de material piezoelétrico, uma espécie de cristal que gera energia a partir do movimento. Os testes feitos em laboratório mostram que atualmente o equipamento tem capacidade para produzir 45 microwatts de energia. Porém, a expectativa é de que esse potencial seja elevado a 100 microwatts, que seriam suficientes para alimentar os sensores para sempre. Com informações do Inhabitat.

Nenhum comentário:

Postar um comentário