segunda-feira, 3 de outubro de 2011

A horta que vem do papel

Manjericão, agrião, rúcula e salsinha compõem a salada e são temperos de muitos brasileiros. Mas quem diria que um dia, estas hortaliças poderiam vir de uma simples folha de papel e ainda reciclado? Era 2009 quando a Papel Semente, empresa por trás desta iniciativa, começou suas atividades em São Gonçalo (RJ).

A ideia, simples e eficiente, vingou. Colocando sementes na fabricação do papel, ao invés de jogá-lo no lixo, você pode literalmente plantá-lo e regá-lo. Em pouco tempo, começam a surgir as primeiras plantinhas.

Fabricação

O processo de fabricação do novo produto é quase artesanal e inclui mão de obra local capacitada para a reciclagem do papel. Tudo começa com o trabalho de catadores da cooperativa Recooperar, que recolhem a matéria-prima em gráficas, empresas e residências.

"Além de gerar renda e trabalho para muitos catadores, a parceria com a cooperativa, vinculada à ONG Guardiões do Mar, colabora para a limpeza e proteção das praias, rios e lagoas das cidades de São Gonçalo e Niterói", explica a diretora de sustentabilidade da empresa, Andrea Carvalho.

O papel é comercializado em formato de etiquetas, kits, folders, cartões de visita, entre outros formatos. Andrea conta que até noivos já encomendaram convites de casamento feitos de papel semente.

Imagem verde

Grandes empresas como Coca-cola, Brastemp, Editora Abril, entre outras, já apostaram na ideia e utilizaram os produtos da Papel Semente. "Muitos clientes procuram nosso papel justamente para alinhar suas marcas a uma iniciativa de sustentabilidade", entende Andrea.

Com uma produção mensal de 10 mil folhas, o papel semente recebeu certificação verde do Instituto E, associação privada civil sem fins lucrativos, voltada para a promoção do desenvolvimento sustentável.

Fonte: Portal Sou Agro

Nenhum comentário:

Postar um comentário