terça-feira, 4 de outubro de 2011

Nova pausa na construção da usina de Belo Monte

 Poucos meses depois de o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente conceder a licença final para a construção do polêmico projeto de represa hidroelétrica de Belo Monte, na Amazônia, uma ação suspende novamente o processo.
O juiz Carlos Castro Martins ordenou a suspensão das obras de construção e se manifestou a favor de um grupo de pescadores, que argumentou que a construção da usina afetaria as reservas de peixes e prejudicaria famílias que vivem da pesca.
Segundo a BBC, o juiz proibiu o consórcio Norte Energia (a empresa encarregada da construção) de “construir um porto, usar explosivos, instalar diques, construir canais e realizar qualquer outro trabalho de infra-estrutura que interfira no curso natural do rio Xingu e afete a vida dos peixes”.
Trata-se de outra pedra no caminho de um projeto que tem mais de 40 anos de história e recebeu numerosas críticas de grupos indígenas, ativistas ambientais e famosos, como o diretor de cinema James Cameron.
Em declarações ao Guardian, representantes do grupo Xingu Para Sempre, que se opõem à construção da represa, ressaltaram que o início das obras já havia gerado caos em um povoado costeiro de Altamira, onde milhares de imigrantes desembarcaram em busca de trabalho. “Todos os nossos maiores pesadelos estão virando realidade”, disse Antonia Melo, uma das líderes do grupo.
De acordo com a AFP, a decisão foi bem recebida também por comunidades indígenas ameaçadas pelo projeto.
Ainda que a decisão do juiz pareça uma vitória, estima-se que o consórcio Norte Energia, responsável pela construção de Belo Monte, vá apelar na decisão. Enquanto isso, os grupos ativistas ganham tempo.
Fonte:TreeHugger Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário