quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Poetree: a árvore que nasce das cinzas de uma urna funerária


Embora a “assistência funerária” raramente seja sustentável graças aos produtos químicos usados em embalsamamentos, câmaras mortuárias de concreto e caixões não biodegradáveis, os enterros fica mais verdes a cada ano, com várias várias opções amigáveis ao meio ambientes e abordagens inteligentes.
Poetree2
Mas que tal manter a simplicidade e devolver a morte ao ciclo natural da renovação?  É o que a designer francesa Margaux Ruyant faz com a Poetree, uma urna funerária que infunde um espírito poético no processo do luto. A Poetree evolui ao longo do tempo, permitindo que as pessoas que perderam alguém plantem uma árvore em suas cinzas, oferecendo aos que partiram um monumento simples, mas elegante.
A Poetree é composta por um anel de cerâmica com informçaões sobre a pessoa falecida, à guisa de lápide, e um recipiente com tampa de cortiça. Os parentes podem colocar as cinzas na urna e levá-la para casa, junto com uma muda de buxo, plantada em um recipiente biodegradável. A tampa é então removida e a muda é plantada nas cinzas, como indica a figura.
Poetree3
Depois de esperar a muda crescer durante algum tempo, a urna pode ser plantada diretamente na terra, onde o recipiente de cortiça irá se degradar lentamente. Por fim, restará apenas o anel de cerâmica e uma árvore viva para celebrar a vida dos que já se foram. É uma bela ideia transformar a visão “estática” da morte em uma homenagem mutável e repleta de otimismo.
fonte TreeHugger Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário