sábado, 8 de outubro de 2011

Rumos do turismo sustentável: 3 tendências da conferência Planeta, Pessoas, Paz


Aumento dos viajantes “zero carbono”
O evento 24 Horas de Realidade Climática demonstrou, há algumas semanas, que o aquecimento global é real e já está causando desastres naturais, inclusive na América Latina.
O turismo é responsável por 5% das emissões globais de gases do efeito-estufa, segundo dados divulgados pela Organização Mundial do Turismo, e a indústria precisa adotar medidas para reduzir sua pegada.
À compensação voluntária das emissões de voos realizada por algumas companhias aéreas, soma-se a iniciativa da Câmara Nacional de Ecoturismo da Costa Rica (Canaeco): seu Programa de Viajantes com Consciência Climática busca incentivar as empresas fornecedoras de serviços a compensar as emissões dos voos de seus hóspedes.
Outra iniciativa interessante nesta linha é a empresa área regional Nature Air, que se auto-denomina "a primeira companhia aérea neutra em carbono" porque compensa todas as suas emissões investindo em projetos de conservação de reflorestamento.
Certamente, há quem argumente que é preferível não emitir, mas o tráfego aéreo aumenta a cada dia e não irá retroceder, enquanto o turismo é uma atividade positiva para os países e as culturas locais.

Histórias em vez de certificações
Por mim, uma interessante apresentação sobre comunicação na indústria turística insistiu que as certificações e selos que comprovam a sustentabilidade dos processos de estabelecimentos e empresas são menos importantes que as histórias ocultas em cada iniciativa.
3
 
Este ponto de vista é interessante porque não se aplica só ao turismo: cada vez mais, as pessoas querem se envolver nos processos de produção do que consumem; portanto, os fornecedores de serviços devem se preocupar em contar as histórias por trás de seu trabalho. Em outras palavras: é mais interessante que os operadores de turismo falem de seu impacto nas comunidades locais do que de suas certificações; é mais interessante contar como uma peça de roupa é fabricada de forma artesanal em uma oficina familiar que enfatizar a sustentabilidade dos tecidos.
Embora essas ideias pareçam específicas da área de turismo, também indicam que o movimento ambiental está evoluindo para abandonar as saídas fáceis e o “greenwashing” e se concentrar em ações com impactos mais amplos, tanto no meio ambiente como nas comunidades.
A conferência Planeta, Pessoas, Paz foi realizada nos dias 3 e 4 de outubro na sede da Universidade Earth da região de Limón, na Costa Rica. O fato de o país sediar o evento não é uma casualidade: a pioneira Costa Rica atua há mais de 25 na promoção do turismo sustentável. No entanto, vários participantes do evento destacaram a necessidade de o setor de turismo começar a atuar mais em outros segmentos para promover mais igualdade social. 

Fonte treehugger Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário